Remoção de Sardas

Remoção de sardas com laser CO2 fracionado induz a quebra das moléculas de melanina suavizando a diferença de pigmentação sem causar danos nas demais células. O procedimento é realizado por médico segundo as normas ISO 9001:2008 com aparelho liberado pela ANVISA e equipado com radiofrequência, o que reduz o tempo de recuperação.

As sardas são pequenos pontos castanhos que surgem em peles muito claras especialmente no verão, devido a extrema sensibilidade ao sol. Consideradas charmosas por alguns, o excesso de sardas pode prejudicar a harmonia dos traços do rosto ao tornarem-se muito evidentes.

O laser CO2 fracionado funciona segundo o processo de fototermólise seletiva, que consiste na quebra de cromóforos através do calor dos feixes de luz. Cromóforos são moléculas capazes de absorver luz. O comprimento de onda do laser é selecionado de acordo com o tratamento a ser realizado para que atinja somente os focos de melanina, sem prejudicar as estruturas adjacentes ou outros cromóforos. As moléculas particionadas serão então fagocitadas e expulsas. O aquecimento provocado na pele produz danos ao tecido para incentivar sua reprodução, processo que é otimizado pela radiofrequência do próprio aparelho que estimula a produção de colágeno.

A aplicação do laser CO2 fracionado no tratamento para sardas é realizado com anestesia tópica e a pele mantida resfriada por um compresso de ar frio durante todo o procedimento. Os olhos são protegidos com óculos especiais. A cicatrização do procedimento ocorre em cerca de uma semana, podendo haver vermelhidão, inchaço e descascamento. Em caso de desconforto podem ser utilizados analgésicos comuns, não sendo necessário o afastamento da rotina. A pele pode continuar rosada mesmo após a cicatrização, o que indica sua fragilidade e a necessidade de proteção solar fator 30, no mínimo. O paciente deve voltar a Clínica para consulta de revisão dentro de 7 dias.

tratamento de sardas com laser CO2 fracionado tende a ter uma boa resposta uma vez que a diferenciação entre as cores do pigmento e da pele facilita a ação do laser. No entanto, a avaliação médica presencial é obrigatória, sendo possível realizar o procedimento no mesmo dia. É durante a avaliação, analisando a quantidade e coloração das sardas, bem como o histórico do paciente, que o médico decidirá se este é o melhor tratamento.

Related posts